Nos teus braços...

Houve um tempo
em que os sorrisos eram rubor
e aurora boreal
a alegria um ser intemporal
os dias de crescer e aprender
as noites de ser e conter
tudo tão natural

Nesse tempo
ousava abraçar-te
num convés de estrelas
imaginário
tu vinhas, sorrias
e na ponta dos teus dedos
brilhavam constelações

Todo o universo
eramos nós

Um olhar rogava
e nos corpos nascia
sem leme e sem mestre
a fome e a sede
de todo um mundo real

Nesse tempo sem igual
dos meus lábios brotou
um murmúrio redentor
que te anunciou
sem pudor
SIM EU FICO
hoje vou nascer
onde sonho morrer.

3 comentários:

Violeta disse...

amei querida crys...

então o novo visual.. amei imenso...viquei com uma pontinha de inveja também queria o meu assim :(

amei..

LINDO como tu

adoro-tu

beijo solto

Rach disse...

adoro a nova roupa desta amêndoa ;)
e adoro estas palavras tão cheias de tudo.

simplesmenteeu disse...

...e era por essa ponta de dedos que as madrugadas se ofereciam ao ardor intenso dos dias.

esse olhar que rasgava as roupas e se fazia barco ou navio em mares em fúria...

um ponto único, de morte e nascimento

lindo o teu poema
e também a nova apresentação

beijo grande

 
©2009 Amêndoa Amarga | by TNB