Inventa-me


Foi uma noite longa
a madrugada dorme
ao contrário das emoções, despertas pela contradição
do que fui e ainda sou, sem ser
do que quero sem entender
dos sonhos ilegíveis, impossíveis de verbalizar
e até de compreender.
Caprichosas estão as emoções
tão incontroláveis
que ainda vou vacilar um pouco nas palavras,
que teimam em permanecer
e arriscar com elas num jogo de sentires
que amordaça e simultaneamente liberta
como o amor
e a ira

Nelas vou pedir-te que me inventes esta noite
lentamente, que me desates dos mil pedaços
perdidos por aí, sem chão
Que apagues num abraço, os traços que marcam
sob os meus olhos, o alvorecer
E que me beijes até me faltar o mundo.
Deita-me
na maciez do teu leito de linho
ensina-me o caminho sagrado do teu universo
e entrega-me num sopro divino
o meu verdadeiro poema






Não me perguntes quem sou
Diz-me só que te pertenço




14 comentários:

pin gente disse...

gostei muito... mesmo muito!
um beijo
luísa

Ana Oliveira disse...

Ser-se assim, irreverente e nua,
para que o olhar do outro nos invente a pele...

e a rima...

Belissimos os dois últimos versos.

Um beijo

Ana

Violeta disse...

tão lindo crys..

amei..
e revi-me em alguma palavrinhas soltas nesse belo texto..

beijo grande
obrigada

Frederico Almada disse...

Minha amiga,mais um belo poema que saiu da tua "pena".
E, se antes sorria ao ler os teus poemas,hoje, sinto "inveja" de por não conseguir escrever tão bela poesia.
Um beijo de alguém que continua atento ao perfume que vais espalhando neste espaço.

Victor Sousa (Sim, eu mesmo...)

Crystal disse...

Frederico

Para mim sempre foste o Victor Sousa. E no entanto, nunca deixarás de ser o Eric All que tanto me motivou. Obrigada. Não faz sentido invejares a minha escrita...senão eu começo a invejar as tuas imagens rs.

Beijo

quanto pesa o vento? disse...

divino!
aplausos!
abraço.

Isa disse...

"ensina-me o caminho sagrado do teu universo
e entrega-me num sopro divino
o meu verdadeiro poema "

Verdadeiro ...eis a questão

Inocente e belo.

Isa

João C. Santos disse...

As palavras. O sincero pensamento certo nos gestos errados. O que vai contra a razão. Ganha a fantasia. O amor, talvez o amor.

quanto pesa o vento? disse...

ainda não tive oportunidade de te dizer mas esta renovação está fantástica. o teu blog está espectacular.
aaço.

Artwoxis Blipovir disse...

xodaxões!

eu xei a quem pertenxe, eu xei. e xe eu naum tivexe uma mixão a cumprir ficava por aqui a perder-me entre a folhagem do xeu verbo, eterno como a viagem pelas galaxias dexte univerxo.

blips curdiais

Walter disse...

Se o poema é fantástico, o final é sublime.

joão marinheiro disse...

Fantastico o blog assim, a musica,as pelavras.
abraço vindo do mar

Laura disse...

Lindo e doce.

FAQ(er) disse...

awwww....

 
©2009 Amêndoa Amarga | by TNB